Notícias

  • Jul

    04

    2019

Fórum chama a atenção para os uso de drogas e seus impactos

O Teatro Municipal de Osasco ficou lotado durante a realização do 1º Fórum Municipal de Políticas Públicas sobre Álcool e Drogas, ocorrido na última segunda-feira (01/07). O fórum é uma realização do Compod, Conselho Municipal de Políticas sobre Drogas, órgão criado pela Prefeitura de Osasco e que é composto por representantes de diversas entidades da sociedade civil organizada, entre elas a ACEO – Associação Comercial e Empresarial de Osasco. A entidade é representada pela sua conselheira eleita, a psicóloga e empresária, Dra. Silvia Resende.Além da realização do Fórum, uma cartilha sobre o uso de drogas e suas consequências foi produzida em parceria com a ACEO e pode ser baixada gratuitamente no site do COMPOD (clique aqui).

Para Dra. Silvia, a avaliação deste 1º Fórum foi positiva. “Foram quase 500 pessoas que participaram deste encontro que discutiu os impactos do uso das drogas na sociedade e que propôs soluções para este problema”.

Dr. Amir Gomes dos Santos, presidente da ACEO acompanha as autoridades na abertura no Fórum.

Ainda de acordo com a psicóloga, a intenção é avançar nesta discussão e trazer á luz um problema cada vez mais recorrente: o abuso de álcool e seus impactos nas empresas. “O álcool, por ser uma droga lícita e, por consequência, socialmente aceita, tem um número cada vez maior de usuários. Enquanto psicóloga e empresária, tenho observado o quanto isto tem afetado também o ambiente de trabalho, interferindo na produtividade e no dia-a-dias das empresas”.

A psicóloga e conselheira da ACEO, Dra. Silvia Resende, o presidente da ACEO, Dr. Amir Gomes dos Santos e o superintendente da ACEO, Denis Mello

Devido ao sucesso do Fórum, a ideia é seguir chamando a atenção da sociedade. “Enquanto membro do Conselho Municipal de Políticas Públicas sobre Drogas (Compod) representando a ACEO, penso que falar sobre esta questão do álcool e seu custo para nossa sociedade, seja nas questões de saúde pública, segurança, na produtividade das empresas e, obviamente, na vida das pessoas seja necessário neste momento”.